segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Show de Caetano, Moreno, Zeca e Tom Veloso


Lindo show no teatro NET, em noite deste domingo, 12/11. Caetano Veloso, com seus três filhos, Moreno, Zeca e Tom Veloso, cantaram  e tocaram
canções antigas de Caetano, e outras composições novas dos quatro compositores. As canções do show, apresentadas na turnê que teve início em 3 de outubro,
no Rio de Janeiro e terminou nesse domingo em São Paulo, serão lançadas em CD, em 2018.




sábado, 7 de outubro de 2017

Pôr de Sol

                                                                                       Pôr do Sol - São Paulo

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Teia de aranha


                                                                    Clique na foto para ampliá-la



quarta-feira, 19 de julho de 2017

Missa de 7º dia do carroceiro Ricardo de Oliveira Santos

A missa de 7º dia do carroceiro Ricardo de Oliveira Santos, morto no dia 12 de julho, foi realizada na Catedral da Sé nesta tarde fria de quarta feira. A missa se transformou em uma manifestação contra a violência policial, com participação de catadores  de papel,  moradores de rua, além da atriz Letícia Sabatella, do ator Sérgio Mamberti e do jornalista Juca Kfouri. Estava presente também o ouvidor da polícia do Estado de São Paulo, Júlio Cezar Neves. Letícia defendeu que é preciso respeitar a dignidade de um ser humano em quaisquer circunstâncias.
A cerimônia foi realizada pelo Sacerdote Julio Lancellotti, da Pastoral Do Povo De Rua. O padre disse que o catador executado representa as milhares de pessoas vítimas da violência, e que "todas as pessoas têm o direito de viver." O ato se fez sob o lema  "Somos um povo que quer viver."
A frase "Que País é Esse", cantada pelo grupo Legião Urbana, dos anos oitenta, parece que será um bordão por muito tempo. Executar uma pessoa como Ricardo de Oliveira, sem a menor defesa, um simples carroceiro, que no mínimo deveria ser amparado pela sociedade, parece coisa de fim dos tempos, ou mais uma barbaridade entre tantas outras. Parece que o espírito do ser humano, da civilização moderna/contemporânea, está enraizado nas trevas de sua existência e não terá salvação. Será que esses indivíduos, que matam, que pensam apenas em si mesmos, dessa sociedade individualista, covarde e corrupta, será que eles ainda rezam a deus com tranquilidade? Com certeza rezam para si mesmos sem a menor intenção de pensar no próximo, isso não seria relevante. Esse sistema brasileiro, que é sistema nenhum atualmente, está matando, não só Ricardo de Oliveira, mas muitos outros e muitos sonhos dos que pretendiam algo dentro de uma sociedade organizada. A organização da sociedade atual brasileira simplesmente não existe. A Igreja Católica ampara nesse momento trágico os que procuram um apoio espiritual e social, comum aos artistas, escritores, carroceiros, moradores de rua, catadores de papel, os que anseiam por justiça. Esse tipo de covardia vai continuar. Não vai ser da noite pro dia que as injustiças irão cessar. Padre Lancellotti diz que "esperamos justiça para esse irmão e para tantos outros." Mas como esperar justiça em um país onde não há justiça? Às vezes, por instantes, eu imagino se estou em um mundo fictício ou real, o que é ficção e o que é realidade. Esse desfecho trágico termina em uma porta de Igreja e tinha uma atriz presente. Isso é realidade.

Mais fotos da missa 

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Parada Gay

Uma amiga minha me perguntou como foi a Parada Gay neste domingo, 18 de junho. Eu disse que parecia o carnaval.
Um clima bem carnavalesco e a presença de 19 caminhões  como trios elétricos representavam os carros alegóricos pela Avenida Paulista, com os 'foliões' dançando ao som de axé, forró e outras musicas típicas. O lado libidinoso da festa logicamente não poderia faltar.
O tema deste ano é "Todas e Todos por um Estado Laico".
As fantasias eram inúmeras e algumas faziam alusão ao momento político brasileiro. As exibições performáticas, com mensagens de cunho social, deixam claro que o povo pede por respeito e dignidade social.
É possível brincar na avenida e ter ao mesmo tempo uma preocupação permanente com um meio social mais digno e justo.

Outras fotos da Parada Gay aqui

segunda-feira, 1 de maio de 2017

1º de maio

Ilu Obá de Min/Mulheres negras que tocam tambores para Xangô
O 1º de maio foi marcado por manifestação na Avenida Paulista. Na maior parte da avenida fechada para veículos, o dia estava calmo, como a de um feriado qualquer, mas na alturado do conjunto nacional, próximo à estação Consolação do metrô, a organização da centrais sindicais se posicionaram para os protestos contra as reformas trabalhistas propostas pelo governo federal, e contra o atual prefeito de São Paulo. João Dória havia proibido qualquer tipo de manifestação na avenida no dia 1º de maio. Na manifestaçção estavam presentes os líderes das centrais, além de  representantes de esquerda, Rui Falcão,presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Ivan Valente, deputado federal pelo PSOL, o vereador pelo PT, Eduardo Suplicy, entre outros.
O protesto contou ainda com representantes de centrais sindicais americanos, e a participação do bloco afro Ilu Obá de Min.








quarta-feira, 19 de abril de 2017

União dos Movimentos de Moradia/SP

Manifestação da União dos Movimentos de Moradia de São Paulo, filiada à CMP/SP
Os manifestantes exigem das prefeituras a implementação de suas políticas municipais de habitação de interesse social e garantam a destinação de recursos  orçamentários aos
programas habitacionais que atendam à população de menor renda. O Protesto foi em frente à Prefeitura de São Paulo, na tarde de quarta feira, 19/04
Outras fotos

sábado, 1 de abril de 2017

Manifestação 31 de março

  Praça da República                    clique para ampliar a imagem
Em mais uma manifestação pelo Brasil, o governo de Michel Temer parece estar mais vulnerável após o rompimento com Renan Calheiros.

A manifestação desta sexta feira, 31 de março,
teve início na Avenida Paulista, percorreu toda a Rua da Consolação e finalizou na Praça da República, sem maiores incidentes. Além de lideranças das forças sindicais, esteve presente o presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão. O protesto é considerado pelas lideranças como um pré aquecimento para a greve geral marcada para o dia 28 de abril.

Veja outras fotos

quinta-feira, 16 de março de 2017

Manifestação 15 de março

A manifestação deste 15 de março ocupou praticamente a Avenida Paulista por inteiro. O Brasil acordou para uma nova etapa pós golpe? Segundo a organização, duzentas mil pessoas protestaram contra o atual presidente. "Se empurrar o Temer cai",

"Fora Temer", o coro da multidão ferveu o clima na Avenida. Lula compareceu por volta das 19 horas e discursou por 10 minutos: "Está cada vez ficando mais claro que o golpe não foi contra Dilma e partidos de esquerda. O golpe foi dado para acabar com as conquistas da classe trabalhadora".
Mais que isso, foi para destruir o país. Se houver manifestações dessa magnitude e com maior frequência, esse atual governo não irá resistir.








quinta-feira, 9 de março de 2017

Dia Internacional da Mulher

O dia Internacional da Mulher, neste 08 de março, foi marcado por manifestações em todo o mundo. Na Avenida Paulista os profissionais das redes municipais e |estaduais se concentraram na Praça Osvaldo Cruz e os estaduais aguardavam para se unirem no vão livre do Masp. O protesto foi contra a Reforma da Previdência, que aumenta o tempo de contribuição e diminui a idade mínima da aposentadoria, proposta feita pelo governo de Michel Temer, além de reivindicarem a igualdade de direitos, contra a violência machista, pelo fim da cultura do estupro, liberdade sexual, pela igualdade social e igualdade  salarial no mercado de trabalho

Após um carnaval marcado por acidentes que ofuscaram o brilho e alegria tradicionais da festa mais popular do Brasil, como o que ocorreu no Rio de Janeiro, não há momento mais propício como esse para acordar um país visivelmente absorto, indiferente e entregue às manobras políticas que assolam esse momento sinistro pelo qual nós, brasileiros, passamos.

Parabéns às mulheres


sábado, 25 de fevereiro de 2017

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Manifestação dos médicos residentes

Médicos residentes da rede pública estadual de saúde do Estado de São Paulo fizeram manifestação na Avenida Paulista, na tarde desta quinta feira. Eles reivindicam 11,9% de reajuste, que já deveriam ter sido pagos em março. A greve já dura 22 dias, desde
o dia 10 de novembro. A Secretaria Estadual de Saúde informou em nota que "o reajuste teria um impacto de 27 milhões a mais aos cofres público. Desta forma, a pasta já solicitou aos ministérios da Saúde e da Educação, que arquem com a diferença, para que o
Estado possa atender às reivindicações dos residentes". As máscaras de Geraldo Alckmin representam o personagem da série The Walking Dead e o boneco representa o secretário da Saúde David Uip.
 A manifestação se concentrou no Vão Livre do Masp, com destino à secretaria da Saúde à Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 188.